+ Motores

PTRX: Nuno Araújo garante Top 10 numa jornada dura

1.21Kvisualizações

A corrida lousadense provou, uma vez mais, que a Divisão S1600 tem um nível competitivo “à Europeu”. O 9º lugar final foi o prémio para a boa exibição do piloto e mostrou que o Skoda Fabia MKIII já está fiável e tem uma grande margem de progressão.

Dos treinos aos momentos decisivos, Nuno Araújo assinou uma exibição isenta de erros e nunca virou cara à luta, espremendo o “sumo” todo do atual estado de desenvolvimento do Skoda Fabia MKIII.

Um dos pontos positivos deste fim-de-semana prende-se com o elevado grau de fiabilidade que o carro demonstrou, a que se juntou o foco do piloto que lhe permitiu, a espaços, estar perto do Top 5. Mas numa divisão em que, com exceção do atual campeão, está uma dezena de pilotos praticamente dentro do mesmo segundo, quanto ao tempo por volta, o “carrossel” classificativo é constante e basta uma manga de qualificação menos bem conseguida para ditar oscilações na classificação. No fecho, o 9º lugar final, a que se junta o 4º de Sever, representa mais uma boa pontuação para o campeonato e permite vincar que equipa e piloto estão na luta e há que contar com eles no futuro.

Nuno Araújo sai de Lousada “contente com a minha prestação e muito orgulhoso do trabalho árduo que está a ser feita pela minha equipa de mecânicos e pela Integra Solutions, sendo já visível que, quando em comparação com 2019, o nosso Skoda está bem melhor, embora ainda um patamar abaixo do que é necessário para ombrear com os melhores carros do plantel”, ou não estivesse o ENI/EQS Racing Team a competir numa Divisão que apresenta um naipe de pilotos e máquinas sem paralelo nas outras do PTRX e que tem mesmo um nível pouco habitual em outros campeonatos nacionais. Aliás, o penafidelense destaca isso mesmo, dizendo sentir-se “muito orgulhoso por fazer parte de um plantel de pilotos com enorme talento, que torna emocionante e imprevisível cada corrida. Este é um desafio enorme e sei que ainda tenho muito que evoluir, mas é esse o meu foco!”.

Para Hugo Branquinho, team manager da equipa, este fim-de-semana foi “mais um passo importante rumo aos nossos objetivos, a curto e médio prazo. Recolhemos muitos dados desta jornada em Lousada, verificamos a valia de algumas alterações que tinham sido introduzidas para esta corrida e sabemos claramente onde temos de melhorar e que evoluções têm de ser introduzidas no carro, para podermos proporcionar ao Nuno as condições para ele lutar pelas vitórias”.

O ENI/EQS Racing Team aponta já a mira para 3ª prova do PTRX, que se disputará na zona raiana da Beira Baixa. O Ralicross de Castelo Branco acontecerá a 1 e 2 de agosto.

pub.
(Visited 231 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta