Ralis

Monte-Carlo: Ogier lidera tripla Toyota, num dia em que a neve foi protagonista

1.38Kvisualizações

Sebastien Ogier atacou forte no arranque do terceiro dia de Monte-Carlo e saltou para o comando da prova, mantendo a posição até ao fecho da jornada. Evans é agora segundo e um endiabrado Rovanpera garante o pleno à Toyota neste pódio provisório.

A caravana do Rally de Monte-Carlo madrugou e quando deixou a cidade de Gap para se dirigir aos Altos Alpes, deparou-se com um manto branco de neve que antevia dificuldades acrescidas na 3ª etapa da prova inaugural do WRC 2021, antevendo-se uma luta onde as condições do piso e a escolha de pneus poderiam ser fatores decisivos.

E foram. Mas não foram os únicos pois outro factor entrou em cena: Ogier. Justamente considerado o “Rei de Monte-Carlo”, o campeão do mundo puxou forte pelo seu Toyota Yaris WRC na classificativa inaugural e fez os 18,31 kms um nível acima dos demais candidatos, deixando Elfyn Evans a mais de 17 segundos e o galês foi o segundo mais rápido!

Curiosamente, seria a única vitória de Ogier durante toda a etapa mas almejou realizar marcas que lhe garantiram a liderança no fecho do dia, colocando-se assim como principal favorito ao triunfo, a um dia do fecho da prova. A acontecer, será a confirmação de que este rali é mesmo o seu “quintal”.

Elfyn Evans viu-se incapaz de deter o ataque do seu companheiro de equipa mas o galês ainda não deitou a talha ao chão. Depois de ter sido dominado nas duas primeiras especiais pelo campeão do mundo, puxou pelos galões e venceu a terceira, terminando o dia a 13,0 segundos de Ogier e continuando assim dentro do ringue para os assaltos finais deste combate monegasco.

Quem parece que renasceu das cinzas é Thierry Neuville. Depois de ter estado muito apagado nas duas primeiras etapas, o belga da Hyundai foi hoje um dos protagonistas, sobretudo mercê de um “tempo canhão”, na segunda especial desta 3ª etapa, percorrida com um manto de neve e gelo traiçoeiro, ao longo de quase todos os 20,48 kms. Desta forma, voltou a entrar na discussão pelo pódio, estando agora a apenas 7 segundos de Kalle Rovanpera. O jovem nórdico continua a demonstrar todo o seu talento e segurança, estando no pódio e ousando ser dos poucos a poder registar uma folha e ranco quanto a erros ao longo da prova. Notável.

Atrás de si, roda no 5º lugar o seu colega Dani Sordo que tem feito um rali muito moderado, tendo como principal missão levar o Hyundai i20 WRC até ao pódio final, para garantir preciosos pontos para a marca coreana, na luta pelo título de construtores.

A “fava” da jornada saiu a Ott Tanak. Dois furos nas duas primeiras especiais do dia, quando só levava uma roda suplente no interior do Hyundai, forçaram o estoniano a perder muito tempo na PEC 9 (segunda do dia) e, mesmo tendo conseguido chegar ao parque de assistência, foi forçado a abandonar, não regressando amanhã.

Camilli e a Sports & You mais perto do 2º lugar entre os WRC2

Na categoria secundária, só um erro grave poderá tirar a vitória a Andreas Mikkelsen e ao seu Skoda Fabia Rally 2 Evo. O norueguês da Skoda Motorsport tem dominado a seu belo prazer as lides entre os WRC2.

Na jornada de hoje, rodou forte nas duas primeiras especiais, tendo nitidamente levantado o pé na ultima, já em modo de gestão da vantagem, que viu aumentar não só devido à sua preponderância na estrada, mas também porque Adrien Fourmoux furou na segunda especial do dia e fez grande parte do traçado sobre a jante frontal direita do Ford Fiesta MKII Rally 2 da M-Sport, cedendo cerca de 1 minuto e 25 e perdendo qualquer veleidade quanto a tentar desfeitear Mikkelsen.

Com tudo isto, Eric Camilli está agora a 17 segundos de Fourmaux e voltou a ganhar força para poder discutir a segunda posição com o seu compatriota. Sempre rápido e consistente ao longo do dia e com a Sports & You a entregar-lhe um Citroen C3 Rally 2 muito fiavel, Camilli tem agora 55 quilómetros pela frente e, e conjunto com a equipa portuguesa, decidir se ataca ou se segura um pódio na prova de abertura do Mundial, juntando ainda a posição de melhor piloto da marca francesa.

A quilometragem referida será percorrida na 4ª e última etapa, com começo amanhã, pelas 7.30 locais, distribuída pelas duplas passagens programadas para os dois troços do programa. A Power Stage final terá uma extensão de 14,31 kms.

Deixe uma resposta