Ralis

Monte-Carlo: Ogier é rei na neve e no gelo!

1.44Kvisualizações

Sébastien Ogier comemorou sua 50ª vitória no Mundial de Ralis com uma oitava vitória recorde no Rallye Monte-Carlo. Domínio absoluto do piloto francês na derradeira etapa do Rallye de Monte-Carlo, vencendo 3 das 4 especiais e liderando assim mais uma dobradinha da Toyota.

Para os anais da história fica mais uma exibição notável de Sebastien Ogier. o heptacampeão mundial levou o seu Toyota Yaris WRC ao triunfo na abertura do Mundial 2021. Acompanhado, como sempre, por Julien Ingrassia chegou ao último dia com cerca de 17 segundos de vantagem sobre o seu colega Elfyn Evans, concorrente mais direto mas não se limitou a controlar o pecúlio. De todo.

Ogier começou a jornada dominical ao ataque, vencendo a primeira especial e alargando a vantagem para 21 segundos sobre o galês. Evans ainda esboçou uma reação na classificativa seguinte, recuperando 1,3 segundos mas foi sol de pouca dura. As segundas passagens pelos dois troços do dia só conheceram um vencedor: Ogier que regressou a Gap para a cerimónia do pódio com 32,6 segundos de vantagem sobre Elfyn, assegurando a sua oitava vitória no rali, conduzindo para 5 marcas diferentes. O seu domínio na prova também fica bem expresso na estatística: 8 vitórias em 15 classificativas. Notável.

Pelo caminho, a vencer a última especial, arrecadou os 5pontos extra do triunfo na TV Wolf Power-Stage, colocando-se no comando do campeonato, com os 30 pontos máximos possíveis. naquela que diz ser a sua ultima época no campeonato, Ogier deixa assim um aviso sério à concorrência: quer fazer cair o pano sobre a carreira com um oitavo título.

Excelente rali aquele que foi protagonizado por Elfyn Evans. O galês, navegado por Scott Martin, esteve sempre na luta pelo pódio, chegando mesmo a liderar a prova, vencendo duas das especiais e garantindo os ainda os pontos do 3º lugar na Power-Stage. Sempre rápido e consistente, só não conseguiu desfeitear um Ogier ao seu melhor nível mas voltou a dar indicações de que terão de contar com ele na luta pelo título mundial, sendo ainda peça fundamental para o 1-2 da Toyota em Monte-Carlo, contribuindo assim para a pontuação máxima obtida pela marca nipónica na luta pelo título de Construtores.

Destaque para o 3º lugar final de Thierry Neuville. O belga estreou Martijn Wydaeghe na baquet de navegador e fez uma prova sempre em crescendo. Depois de uma primeira etapa desoladora, onde nunca conseguiu andamento para ombrear com os protagonistas da luta pelo comando, começou a dar sinais de poder melhorar logo no segundo dia, mas foi a partir da 3ª etapa que conseguiu imprimir um andamento mais condizente com aquilo que se espera de um potencial candidato ao título, levando mesmo o Hyundai i20 WRC à vitória numa das especiais e terminando esse dia às portas do pódio.

Na etapa derradeira, continuou a mostrar argumentos, vencendo outra especial e desalojando, finalmente, Kalle Rovanpera do 3º lugar, dando assim um pódio à Hyundai, num rali em que a marca coreana só a espaços se mostrou capaz de medir forças com a Toyota, sobretudo através de Tanak, primeiro líder, mas este veio a ser forçado a desistir, começando a época com o pé esquerdo. Neuville viria ainda a obter pontos extra, com o seu 4º lugar na Power-Stage.

Mesmo tendo perdido o lugar de pódio na ultima etapa, Kalle Rovanpera sai de MonteCarlo com a satisfação de ter voltado a protagonizar uma exibição sem falhas. O jovem piloto da Toyota já deixou de ser uma promessa. é agora, por mérito próprio, um dos mais rápidos e revela uma fibra exclusiva daqueles que estão talhados para chegarem a grandes feitos. Além do 4º lugar final, amealhou ainda os pontos referentes ao 2º tempo na Power-Stage. O futuro deste jovem nórdico é mais do que promissor.

O Top 5 ficou fechado com Dani Sordo. Uma vez mais, o espanhol revelou toda a sua utilidade para a equipa da Hyundai, sendo sólido e cumpridor das ordens para assegurar pontos para a marca, após o abandono de Tanak. Ao longo dos últimos dois dias, Sordo não escondeu que estava a rodar muito abaixo dos limites mas o 5º lugar na geral e na Power-Stage são um prémio justo para um piloto que vale muito mais do que aquilo que muitos dos seus resultados indicam.

A próxima prova d Mundial será o Arctic Rally Finland Powered by CapitalBox, que decorrerá de 26 a 28 de fevereiro.

Deixe uma resposta