Automóveis

Nissan combina tradição, perícia e robôs para produzir o JUKE de dois tons

674visualizações

O processo de pintura de dois tons do JUKE inspira-se no passado e baseia-se na perícia humana combinada com a precisão de robôs de alta tecnologia. As pinturas de dois tons respondem ao desejo de personalização dos clientes.

Uma combinação de dois tons confere ao JUKE o seu carácter distintivo e ajuda os condutores a expressarem o seu próprio estilo. Olhar retrospetivamente para as tendências de estilo do passado provoca frequentemente uma de duas reações: profundo constrangimento ou a esperança de que algumas delas voltem a estar na moda. Isto é compreensível, dado que as tendências que melhor recordamos de qualquer era tendem a ser as mais polarizantes. Por isso, quando se tratou de trazer uma tendência antiga para a estética automóvel, aplicando dois tons de acabamento de pintura num automóvel, fez sentido para a Nissan recuperar esta tendência no seu modelo mais polarizante: o pioneiro e único Nissan JUKE.

A nostalgia está também cada vez mais em voga nos mundos da moda, da arte e do design, especialmente no que respeita aos anos 80 e 90. Para se manter a par dos interesses dos clientes é importante que a Nissan reflita estas tendências e identifique os sucessos de décadas passadas, destacando-se a tendência de dois tons. E tendo em conta os arquivos da Nissan, com certeza existe uma rica herança de combinações de cor para escolher.

A equipa por trás da pintura de dois tons do JUKE

A tarefa de desenvolver a gama abrangente de cores da carroçaria foi incumbida ao estúdio de design de cor da Nissan Design Europe (NDE), Londres, enquanto a unidade de fabrico da Nissan em Sunderland teve a seu cargo o processo de precisão da pintura.

A equipa da NDE em Londres, liderada por Lesley Busby, Diretora de Cor, identificou as cores e desenvolveu combinações de dois tons que viriam a constituir a paleta de cores completa do JUKE. Clare Errington, Diretora da Oficina de Pintura na fábrica da Nissan em Sunderland, foi responsável por assegurar que as cores seriam reproduzidas e aplicadas de forma precisa no fabrico do JUKE.

Lesley, Clare e as respetivas equipas trabalharam durante mais de um ano até ser pintado o primeiro automóvel de um cliente com um processo de experimentação rigoroso para assegurar a precisão da cor.

Para saber mais sobre o legado de design de veículos da Nissan com pintura de dois tons, visite www.newsroom.nissan-europe.com/pt.

Deixe uma resposta