+ Motores

Motofil conquista mais um pódio em Montalegre

167visualizações

A equipa esteve em destaque na segunda visita do ano do Campeonato de Portugal de Rallycross by Diatosta à pista transmontana, com Gonçalo Novo a alcançar um brilhante segundo lugar na categoria de Iniciação, enquanto João Novo foi um pouco menos feliz, obtendo apenas o sétimo posto na competitiva Divisão Super 1600.

Esta quarta prova da temporada conheceu desfechos bem diferentes para os dois pilotos da Motofil, pois, em Montalegre, o “lobo” mais jovem Gonçalo Novo conseguiu concretizar o pódio que lhe tinha fugido em Sever do Vouga, com um fim-de-semana onde mostrou do que era capaz aos comandos do Toyota Starlet.

O piloto que representa a Motofil na categoria de Iniciação teve uma exibição de luxo, rodando sempre nas posições cimeiras ao longo das mangas de qualificação e nas semifinais. A sua performance continuou alta na corrida decisiva e a recompensa chegou, com o 2º lugar final. O resultado revelou-se uma excelente operação pontual, pois permitiu encurtar a diferença para o líder do campeonato.

“Contrariamente a Sever, desta vez consegui exprimir em resultados todo o meu potencial, e sair de Montalegre com um resultado mais consentâneo com o meu valor. E isso deixa-me satisfeito, comigo e com a minha equipa”, referiu, sublinhando que “o carro esteve perfeito, não dando qualquer problema ao longo de toda a prova”. O desejo de Gonçalo Novo é que na próxima prova “possa manter este nível de resultados, discutir a vitória e dessa forma poder lutar pelo campeonato. Acho que temos condições para o fazer”.

Já João Novo teve um fim-de-semana algo complicado aos comandos do Citroën C2 S1600, apesar de saber que o nível competitivo da divisão ‘rainha’ do rallycross nacional é muitíssimo alto e exigente. “Vinha para Montalegre com a esperança de ter uma prova mais positiva que anterior, depois dos azares que tivemos e que nos tinham impedido de alcançar a final. E a verdade é que isso aconteceu, apesar das condições difíceis que tivemos no domingo e que transformaram as corridas numa espécie de lotaria”, começa por assinalar.

De facto, o piloto da Motofil andou a um ritmo muito constantes nas posições da frente, apesar se envolver num toque na quarta manga de qualificação, já com a chuva a fazer-se sentir. O carro foi recuperado para semifinal, onde as condições da pista eram terríveis, mas onde alcançou o quarto lugar e se apurou para o confronto decisivo.

O objetivo na final era tudo fazer para alcançar o almejado pódio. Mas com o Citroën C2 S1600 a ressentir-se dos problemas resultantes do toque na quarta manga João Novo teve de ficar-se pela sétima posição.  Um resultado que “não é o desejado”, mas que deixa ‘no ar’ “a sensação de que em condições normais posso estar a discutir as primeiras posições. Fico contente com o ritmo demonstrado. Por isso tudo irei fazer para que na próxima prova o desfecho seja diferente”.

O Campeonato de Portugal de Ralicross by Diatosta entra agora nas férias de verão, regressando apenas nos dias 3, 4 e 5 de setembro, com o 56º Mação Verde Horizonte.

(Visited 29 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta