+ Motores

Continuou “série negra” de Sérgio Dias em Montalegre

211visualizações

O piloto do Renault Twingo S1600 saiu frustrado desta segunda visita do Campeonato de Portugal de Rallycross by Diatosta a Montalegre, já que apesar de ser um dos mais rápidos da Divisão S1600 acabou por ser ‘travado’ por um toque inaudito de um adversário.

Sérgio Dias conheceu mesmo uma prova complicada na pista transmontana, marcada por altos e baixos, sendo que logo na primeira manga de qualificação sofreu um toque que lhe condicionou a prestação, terminando em 13º. O piloto do Renault Twingo S1600 esperava que na segunda manga as coisas corressem melhor. E foi o que aconteceu. Apostado em recuperar posições fez um ‘forcing’ que o levaria ao quarto posto. Isso deu-lhe um moral reforçado para o resto do fim-de-semana competitivo.

As expetativas para domingo eram as melhores, mas com a chuva a aparecer as condições da pista também se alteraram. Mas a lama não fez Sérgio Dias ‘baixar os braços’, pelo que foi à luta e na terceira manga conseguiria o 9.º lugar. Mas um problema mecânico não o deixaria depois participar na quarta manga, o que o fez perder várias posições na classificação geral após as qualificações.

Obrigado a arrancar de último para a semifinal, o piloto empenhou-se, deu o tudo por tudo e acabaria por se impor. “Foi uma semifinal de muita emoção, onde dei tudo e felizmente consegui ultrapassar as dificuldades, chegando ao triunfo”, que o colocou de novo na rota da luta pela vitória, pois na corrida decisiva arrancava da primeira linha da grelha de partida.

Sérgio Dias até arrancou bem, mas na travagem para a primeira curva um adversário abalroou o seu Renault Twing S1600 por trás, estragando-lhe a corrida. O incidente fê-lo entrar em pião e descer para último. Mas tal como no confronto anterior, voltou a dar tudo para recuperar.

“Lutei novamente com tudo, mas já não dava para mais e acabei em quinto. Ficamos frustrados, pois após a semifinal era dos pilotos mais fortes em pistas à chuva. E fomos literalmente arrumados, o que nos tirou pelo menos um lugar do pódio”, desabafou o piloto após a prova.

Sérgio Dias não aceita a conduta de certos adversários, muito embora o rallycross seja um desporto de contacto. Mas sente que já basta de tantos ‘chega pra lá’: “Penso que não mereço este tipo de conduta, pois não é assim que se ganham corridas. Há que ser ‘mais limpo’ e correto em pista”.“Foi pena o que aconteceu, pois, o meu andamento à chuva estava muito bom. Espero que este tipo de ‘azares’ não se repita na próxima prova. Temos andamento para lutar pelas vitórias e queremos lá chegar!”, acrescentou o piloto do Renault Twingo S1600.

(Visited 72 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta