Ralis

Armindo Araújo vence Rali Terras D’Aboboreira e regressa ao comando do CPR

1.6kvisualizações

O piloto do Skoda Fabia R5 Evo da The Racing Factory assinou uma exibição a rondar a perfeição na prova do Clube Automóvel de Amarante. Sempre na frente da luta nacional, chegou ao triunfo absoluto mercê do erro cometido pelo francês Adrien Fourmaux, mais rápido nos troços no Ford Fiesta R5 MK II da M-Sport.

A questão da vitória absoluta no rali terras D’Aboboreira, penúltima prova do Campeonato de Portugal de Ralis 2020 ficou resolvida num controle de partida, antes mesmo dos principais protagonistas rumarem às quatro especiais contidas no programa do segundo e último dia de competição. A dupla oficial da M-Sport formada por Adrien Fourmaux e Jamoul Renauld penalizou dois minutos por avanço e, mesmo vencendo os 4 troços do dia, caíram para o 5º lugar final, depois de terem demonstrado que seriam naturalmente favoritos a saírem de Portugal com uma vitória no bornal.

Mas verdade seja dita que, Armindo Araújo e Luís Ramalho fizeram sempre jogo de igual para igual com os franceses. Terminaram o primeiro dia no 2º posto da geral, a três décimas de segundo dos homens da M-Sport e venceram uma das duas especiais disputadas. Durante a jornada de sábado, demonstraram sempre um andamento “mundialista”, perdendo escassos segundos na estrada e controlando sempre as lides da luta entre os principais protagonistas do CPR, chegando assim a um saboroso duplo triunfo: vitória no rali e nas contas do campeonato, mercê dos importante spontos extra que recolheram das vitórias entre os portugueses em 4 dos seis troços e da segunda posição na “Power Stage” de fecho.

“Fomos muito fortes ao longo de todo o rali. Atacámos onde achámos que o devíamos fazer e gerimos o ritmo conforme nos era mais útil. Desde a entrada no parque de assistência da manhã do ultimo dia de prova que sabíamos do erro do Adrien Fourmaux que lhe iria valer uma penalização e, por isso, não estávamos preocupados com o ritmo dele. Claro que vencer à geral é um duplo sabor, mas o nosso grande objetivo era a vitória entre os concorrentes do CPR”, disse no final Armindo Araújo. Com 8,88 pontos de vantagem sobre o seu direto e único adversário na luta pelo título, as contas finais serão feitas no Rali Casinos do Algarve dentro de quinze dias. “Toda a equipa fez um excelente trabalho, o carro estava perfeito e estamos muito motivados para a última prova. É claramente melhor partimos em vantagem, mas sabemos que ainda nada está ganho. O nosso foco é sermos campeões”, reconheceu o piloto que persegue o que será o seu sexto título.

O 2º lugar alcançado por Ricardo Teodósio e José Teixeira teve um sabor agridoce para a dupla algarvia do Skoda Fabia R5 EVO com as cores do Team Vito Skoda. Sendo um resultado de relevo, a que juntaram duas vitórias em especiais, incluindo na “Power Stage”, representou o adeus à possível renovação do título alcançado em 2019, pois só a vitória ainda lhes daria esperança de continuarem na luta. Memso assim, mais uma boa exibição de Teodósio.

Ao mais alto nível esteve o jovem Miguel Correia. Navegado pelo experiente António Costa, o piloto nortenho está a realizar uma época de 2020 de fino recorte, mostrando-se cada vez mais afoito e capaz de rodar rápido de forma consistente, com resultados que, até à data, já eram muito positivos.

Mas nas Terras D’Aboboreira, Miguel Correia elevou as cores da equipa Socicorreia a um nível acima e, do primeiro ao último quilómetro, esteve sempre na luta pelo pódio, lugar onde colocou o seu Skoda Fabia R5 com o mérito que só nasce do talento, algo que tem vindo a demonstrar possuir. A continuar assim, a sua carreira será longa e bem-sucedida.

No quarto lugar terminaram Bruno Magalhães e Carlos Magalhães, que chegaram ao rali no comando do campeonato. Nunca revelaram argumentos para colocarem o Hyundai i20 R5 na refrega pela vitória, ou mesmo pelo pódio, mas, pelo menos, angariaram os pontos suficientes para irem para a última prova do ano com legítimas aspirações ao título nacional, embora agora já dependentes do que farão Araújo e Ramalho.

Daniel Nunes conquista triunfo suado nos 2R2L

Quando ao campeonato reservado aos carros com duas rodas motrizes e motores até dois litros (2R2L), a prova ofereceu-nos um duelo verdadeiramente espetacular entre a dupla açoriana Ruben Rodrigues/Estevão Rodrigues e a equipa formada por Daniel Nunes e Nuno Mota Ribeiro. Sendo o Peugeot 208 VTI R2 o argumento competitivo utilizado pelas duas duplas, assistiu-se a uma luta sem quartel, de fio a pavio da prova.

Ruben Rodrigues comandou as lides até à última especial, mas com Daniel Nunes a, paulatinamente, recuperar tempo, sobretudo durante o sábado e, num forcing final, a conseguir desalojar o açoriano do comando já na última especial do rali, chegando a uma vitória que coloca Nunes praticamente às portas do título.

O pódio nesta categoria foi alcançado por Ricardo Sousa e Luís Marques que, também aos comandos de um 208 VTI R2, rubricaram uma atuação sólida e sem falhas. Já Adruzilo Lopes e José Janela levaram o Mitsubishi Lancer IX equipado com pneus Kumho ao triunfo no Grupo RC2N.

Uma palavra para o Clube Automóvel de Amarante que assinou uma organização com um nível alto e sem falhas visíveis. O Rali Casinos do Algarve, derradeira prova do CPR 2020 está agendado para os dias 13/14/15 de novembro.

Deixe uma resposta