E-Sports

Miguel Neto imperial fez a Phoenix Racing voar mais alto no VTC 2020

2.1kvisualizações

Miguel Neto, no Peugeot 308 TCR da Pheonix Racing sagrou-se campeão da edição inaugural do Virtual Touring Cars. Vencendo 5 das 8 corridas, o piloto do Peugeot 308 TCR da Phoenix Racing foi um justo campeão, numa competição que viu ainda Rafael Lobato e André Caiado provarem o doce sabor do triunfo e assegurarem os restantes lugares do pódio do campeonato.

O campeonato decorreu ao longo do passado mês de Maio, distribuído por 4 circuitos míticos, com cada pista a receber uma jornada dupla. Nurburgring, Donington Park, Imola e Spa-Francorchamps foram os palcos ideias para batalhas épicas protagonizadas por um pelotão rico em quantidade e qualidade.

De ta forma foi o interesse, que tiveram de ser disputadas pré-qualificações para preencher os 60 lugares distribuídos pelos dois servidores. O Servidor 1 correspondeu à Arena principal, onde os 30 pilotos mais rápidos e convidados especiais, disputavam o cetro do título e os prémios em liça. O Servidor 2 incluiu os pilotos com tempos na pré-qualificação entre o lutar 31 e 60 e que, ao longo do campeonato, lutaram não apenas pelas vitórias nas corridas, mas por conseguir subir ao Servidor 1, desiderato apenas alcançado por 4 pilotos.

O campeonato organizado em parceria pela G’s Competizione, R4 Simracing e ESportsSim Racing, teve honras de transmissão direta de todas as corridas e qualificações na RTP Arena, apresentando uma lista de prémios aliciantes, que incluíam para o campeão uma corrida, sem custos, no Troféu C1 2021. Para o segundo e terceiro classificados, estão garantidas sessões de teste aos comandos de um C1, reforçando assim o interesse de muitos pilotos com grande carreira no SimRacing e que, paralelamente, competem no real.

Lutas sem tréguas pela vitória, pelos lugares de pódio e mesmo por qualquer posição no meio do pelotão, eis o “menu” servido pelo 1º Virtual Touring Cars, ao longo de todas as jornadas. Foram inúmeras as ultrapassagens, saídas de pista e acidentes “Big One”, com vários carros envolvidos, criando o frisson perfeito para prender ao ecran da RTP Arena uma audiência que foi sempre crescendo, ao longo do campeonato, cifrando-se no final, em mais de 154 mil minutos de visualização, atingindo dezenas de milhares de espetadores.

Ao longo das 16 corridas, tivemos direito a 8 vencedores diferentes (três no Servidor 1 e cinco no Servidor 2), com quase duas dezenas a reclamarem presenças nos pódios, atestando a grande competitividade desta competição.

Mas, Miguel Neto foi, sem sombra de dúvida, o “guerreiro” que sobressaiu das sucessivas faenas no VTC 2020.

A dupla vitória a abrir, na jornada inaugural germânica, colocou o piloto da Phoenix Racing como grande candidato ao título. Curiosamente, nas 3 jornadas duplas seguintes, Miguel Neto não voltou a repetir a “dobradinha”, mas venceu sempre uma das corridas de cada um desses 3 fins-de-semana, sendo 2º classificado em outras duas e só terminando fora do pódio, na corrida inaugural de Imola. No final, os 457pontos acumulados deram-lhe uma vantagem de 13 sobre o mais direto adversário e um título inteiramente merecido.

Rafael Lobato foi o adversário que mais frente fez a Neto. Aos comandos de um Peugeot 308 TCR da nova equipa E-Sports & You, o jovem craque transmontano saboreou o triunfo em duas corridas, juntando ainda mais três presenças no pódio, mas tendo, aqui e ali, alguns erros que lhe retiraram a consistência necessária para vencer o campeonato. No entanto, a sua proverbial rapidez e agressividade tornaram-no um dos protagonistas e o vice-campeonato assenta-lhe muito bem.

A Phoenix Racing saiu de “barriga cheia” deste VTC 2020, ao colocar André Caiado no último degrau do pódio do campeonato. Sempre muito eficaz, cerebral e regular, André Caiado foi, paulatinamente, subindo na classificação do campeonato, conquistando mesmo uma vitória, na primeira corrida de Imola. Três outras presenças no pódio, com especial destaque para duas delas terem sido na jornada final, levaram-no ao pódio, sendo ainda de realçar a excelente ajuda que deu a Miguel Neto, sempre que o jogo de equipa foi necessário. Viria a terminar com 414 pontos.

O Top 5 ficou completo com mais dois Peugeot 308 TCR. A marca do “leão” dominou este VTC 2020. João Moutinho, da E-Sports & You foi 4º, enquanto César Machado, da G’s Competizione assegurou o 5º posto. O melhor “não Peugeot# foi Marco Felix, aos comandos de um Hyundai i20 TCR inscrito pela Opium Racing Motorsports, que terminou no 6º lugar final do campeonato.

Uma palavra para Luís Fernandes. Vindo do Servidor 2, o piloto do Alfa Romeu Giulietta RF TCR subiu ao servidor principal logo na segunda jornada, em Donington e foi presença assídua no Top 10 das corridas que disputou entre “os grandes”, chegando mesmo a bater à porta do pódio numa delas. O 11º lugar final sabe a pouco e não reflete a sua prestação global.

Este VTC 2020 contou com um excelente naipe de pilotos convidados. Tiago Monteiro, Niels Langeveld, Carlos Vieira e Pedro Salvador, entre outros, deram um toque especial a um campeonato que veio para ficar, com a organização a prometer nova edição para breve.

PUB.

Deixe uma resposta