Velocidade

SuperCars Endurance: Gustavo Moura recebeu os primeiros louros em Jarama

245visualizações

Gustavo Moura (Hyundai Elantra N TCR) assinou uma estreia de sonho com o seu novo carro, ao vencer, de forma categórica, na manhã deste domingo, a primeira corrida da jornada de abertura da SuperCars Endurance, no circuito espanhol de Jarama, batendo o Mercedes AMG da dupla António Coimbra/Luís Silva por uma margem de 8.615 segundos.

Os pilotos portugueses estiveram em plano de evidência, ao monopolizarem os lugares do pódio, depois de uma prova em que os TCR rodaram uma boa parte dela na frente, sendo de destacar ainda o excelente desempenho de Daniel Teixeira (CUPRA TCR), que só alinhou na corrida devido ao desportivismo do veterano espanhol Paco Gastañaga, já que este cedeu a ventoinha do radiador do seu CUPRA TCR, prescindindo, por isso, de alinhar na corrida de 45 minutos. Teixeira foi brilhante e rodou quase sempre em segundo, atrás de Moura, e apenas cedeu aquele lugar a António Coimbra quando se viu forçado a baixar o ritmo, pois o pneu dianteiro esquerdo começa a desfazer-se, causando uma forte vibração no CUPRA. “Foi pena perder o segundo lugar, é verdade, mas a minha guerra era mais o TCR….”, confessou o piloto do JT59 Racing Team.

Lá na frente, Moura assumiu o comando no arranque, superando Nicolas Pino (Ginetta G55), mas ao fim de meia dúzia de voltas o piloto chileno chegava ao primeiro lugar. Contudo, o português da GC24 Motorsport, que corre ‘a solo’, não se intimidou e quando a equipa Tockwith Motorsport trocou de piloto voltou à liderança, a qual manteve até receber a bandeira xadrez.

“Sofri um pouco na parte final com o desgaste dos pneus, pois tinha o dianteiro esquerdo quase a descolar. Tive que levantar o pé e gerir muito bem a vantagem que tinha para o adversário mais direto. Foi ótimo vencer e estou imensamente feliz com isso”, palavras de Gustavo Moura.

O terceiro lugar ficou decidido na última das 25 voltas e surge como corolário das dificuldades de Daniel Teixeira face ao desgaste de pneus do seu CUPRA TCR na segunda metade da corrida. E depois de receber o Mercedes AMG da Sports & You das mãos do seu colega Luís Silva na sexta posição, António Coimbra imprimiu um ritmo muito forte e aproveitou todas as oportunidades que se lhe depararam, como assinalou, no final: “Tivemos sorte e azar, porque quando eu saí entrou o Safety Car, mas ainda deu para ganhar a categoria GT4 Bronze. Faltaram mais uma ou duas voltas para, talvez, a nossa equipa ganhar à geral. De qualquer modo, fizemos uma corrida tranquila e em bom ritmo, mas sem arriscar”.

Face ao domínio dos pilotos portugueses, a dupla Marmaduke Hall/Nicolas Pino, da Tockwith Motorsport, na quarta posição, com o Ginetta G55, terminou como melhor estrangeira e vencedor da classe GT4 Pro, deixando os terceiros, Gonzalo de Andres/Guillermo Arjol, a uma grande diferença, já que o McLaren 570S voltou a não estar isento de problemas.

Nico Abella, o piloto e “patrão” da equipa Chefosport, esteve simplesmente intocável na classe RC, ao volante de um Peugeot 308 Racing Cup, conquistando um magnífico quinto lugar, deixando para trás adversários com carros bastante mais potentes. A dupla Jorge Rodrigues/Francisco Carvalho (Porsche 981 Cayman MR), no sexto lugar, terminou como segunda da classe GT4 Bronze, com menos de um segundo de vantagem sobre o lituano Andrius Zemaitis (Porsche 981 Cayman MR).

O estreante Francisco Gonçalves (Lotus Exige) foi segundo classificado na classe GTC, cujos vencedores foram Jemma Moore e Aubrey Hall, no Ginetta G50 da Tockwith Motorsport. A equipa da JC Group Racing Team não teve a sorte pelo seu lado, já que José Correia teve uma saída de pista e o Mercedes AMG ficou enterrado na gravilha, perdendo aí várias voltas, ainda antes de entregar o volante à sua filha Gabriela.

(Visited 40 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta