Velocidade

Alpine reúne “músculo” desportivo do Grupo Renault

614visualizações

A Alpine anunciou, hoje, os planos de crescimento, a longo prazo, como marca do Grupo Renault dedicada a automóveis desportivos, inovadores, autênticos e exclusivos. As atuais atividades da Alpine Cars, Renault Sport Cars e Renault Sport Racing serão reunidas numa única entidade, sob a marca Alpine.

A Alpine associará a credibilidade de uma marca autêntica, a uma produção especializada, ao domínio de engenharia e a uma imensa exposição mediática na Fórmula. Juntas, essas atividades transportam a Alpine para uma nova dimensão e lançam as bases de uma marca automóvel de “nova geração”, destinada a clientes exigentes e apaixonados.

Ativos atuais e novas sinergias para novos desafios

A Alpine é, sem dúvida, a incarnação do automóvel francês; uma marca reconhecida, com uma gloriosa herança da competição e com especialistas altamente qualificados que produzem o modelo A110, na fábrica de Dieppe.

A Renault Sport Cars é formada por uma equipa de 300 pessoas, mestres no desenvolvimento de automóveis desportivos. Especialistas que deram ao Grupo Renault modelos icónicos como o Renault 5 Turbo, Clio V6, Mégane R.S. Trophy e o novo Alpine A110.

A Renault Sport Racing e escuderia F1 juntas, reúnem 1200 pessoas, que desenvolvem, ao nível do desporto automóvel, o equivalente aos mais exigentes “desafios da relojoaria”, concentrando alguns dos maiores especialistas em aerodinâmica, mecânica e engenharia de motores. A Fórmula 1 oferece uma imensa plataforma de marketing e representa uma oportunidade única para fortalecer, globalmente, a imagem da marca Alpine à escala mundial.

A Alpine beneficiará dos recursos do Grupo Renault e da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, que incluem tecnologias como a plataforma EV da Aliança, a presença industrial global do grupo, o acesso a uma estrutura de compras profissional que permitirá garantir a otimização dos custos, sem esquecer também o acesso privilegiado à rede de distribuição global e os serviços financeiros da RCI. O objetivo é atingir a rentabilidade em 2025, incluindo os investimentos na competição automóvel.

“A nova entidade Alpine combina três marcas com ativos e áreas de excelência distintas, em prol de uma empresa única e autónoma. O ‘know-how’ da nossa fábrica de Dieppe, e a excelência da engenharia das nossas equipas de F1 e da Renault Sport, brilharão com a nossa gama 100% elétrica e tecnológica, ancorando assim o nome ‘Alpine’ no futuro. Estaremos nas pistas e nas estradas, de forma autêntica, com a mais elevada tecnologia e seremos disruptivos e apaixonados”. Laurent Rossi, Diretor-geral da Alpine.

Manutenção na competição

A Alpine e a Renault têm uma longa história na competição, em diferentes categorias, seja na Fórmula 1, nos Ralis ou na Resistência. A competição permanecerá no centro dos ambiciosos planos da Alpine, com a Fórmula 1 a desempenhar um papel central na estratégia desportiva da marca. A partir de 2021, a equipa Alpine F1 competirá contra alguns dos mais prestigiados nomes da indústria automóvel e entrará no muito exclusivo e restrito “clube” das equipas de fábrica.

A Alpine foi fundada em 1955, por Jean Rédélé, um jovem apaixonado pelo desporto automóvel, que se inspirou no nome do seu “parque de diversões” favorito – os Alpes – para atribuir o nome à sua marca.

Foi, em 1962, que a Alpine começou a ser reconhecida e a descolar para “voos mais altos”, com o lançamento do original A110. Naquela época, a Alpine e a Renault colaboravam de forma próxima, com os modelos Alpine a serem vendidos e assistidos nos concessionários Renault. No início dos anos 70, a Alpine fazia já parte da elite dos ralis. Em 1971, monopolizou, pela primeira vez, o pódio do célebre Rali de Monte-Carlo, repetindo a façanha dois anos depois. E foi precisamente em 1973, que a Alpine conquistou, também, o título de Construtores no Campeonato do Mundo de Ralis.

Paralelamente e fora da competição, as vendas dos modelos de estrada da Alpine cresciam. Para responder a esse sucesso, a Alpine construiu uma fábrica, em Dieppe, em 1969 (o mesmo local onde atualmente é produzido o novo A110), e onde, em 1971, o A310 entrou em produção, antes da marca ser adquirida pelo Grupo Renault, em 1973.

Em 1978, a Alpine conquistou o seu mais famoso triunfo, alcançando a glória com a vitória nas míticas 24 Horas de Le Mans. Em Dieppe, a fábrica continuou a lançar novos e inovadores modelos desportivos, como o A310 V6 e o GTA, com a produção da Alpine a cessar em 1995. Em 2017, a Alpine lançou o novo A110, um modelo fiel aos princípios intemporais do A110 original que, de imediato, atingiu o sucesso, não só pela onda de apaixonados que conquistou, mas também pelos números prémios internacionais granjeados.

(Visited 51 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta