+ Motores

Jorge Machado com início de época atribulado

1.2kvisualizações

Sever do Vouga foi palco do regresso do lousadense Jorge Machado ao CPRX. À rapidez que o piloto evidenciou, a corrida respondeu com uma série de incidentes que impediram um resultado ao nível da exibição.

No momento em que tirou o capacete e as luvas, dando por concluída a sua participação no Ralicross de Sever do Vouga, Jorge Machado deve ter vivido um momento onde a frustração media forças com a satisfação, num misto de sentimentos que traduziu de forma perfeita a saga vivida pelo lousadense na primeira prova da temporada 2020 do Campeonato de Portugal de Ralicross.

Jorge Machado encarava este primeiro embate com “prudência pois, além de ter estado parado alguns anos, escolhi reentrar no CPRX na Divisão S1600, que é a mais competitiva do campeonato. A presença em Sever tinha como principais objetivos ganhar ritmo e adaptar-me à condução do Citroen C2 S1600 sem, de forma alguma, enjeitar lutar pela melhor classificação possível”.

0 7º tempo nos treinos deixava o piloto “satisfeito. Adaptei-me bem ao carro e deu para perceber que somos competitivos”. O seu forte andamento seria uma constante ao longo de todo o fim-de-semana, mas a sorte nada quis com ele.

Praticamente em todas as mangas, Jorge Machado sofreu “toques que me prejudicaram sempre e condicionaram os resultados. No entanto, em todas as corridas deu para perceber que tenho andamento para estar na frente, a discutir a primazia. Mesmo com todos esses problemas, fiz a volta mais rápida na terceira manga e terminei em 3º a quarta, embora aqui já de nada me valeu, pois, os incidentes anteriores colocaram-me fora da qualificação para a final”. O 10º lugar final permitiu, mesmo assim, recolher pontos que podem vir a ser importantes no futuro.

Mas Jorge Machado não dá o fim-de-semana de Sever como mal empregue. O piloto de Lousada destaca “a satisfação de perceber que, depois dos anos de paragem, estou com ritmo para andar na frente e aproveitamos esta corrida para fazer alguns ajustes e melhorar o carro para o nosso estilo de condução. Demos um passo em frente, fica a amargura de não chegar a final como tanto desejávamos, mas as corridas são mesmo assim e o campeonato é longo. Tenho a certeza de que estaremos na luta!”.

Deixe uma resposta