Montanha

Jante partida trava arranque positivo de Nuno Guimarães

1.6kvisualizações

Nuno Guimarães estava a discutir o pódio absoluto, na estreia do seu novo Silver Car S2, quando uma jante partida e a anulação da 3ª subida, lhe tirou todas as hipóteses de um grande resultado no arranque do CpM JC Group.

Neste rescaldo da prova de Murça, outros valores se sobrepõem à competição. Nuno Guimarães vinca bem o momento que se está a viver, referindo que “a exemplo de todos quantos fazem parte desta maravilhosa família da Montanha, é profunda a consternação que sinto perante a tragédia vivida. O meu pensamento está com as famílias enlutadas, com os feridos, com o povo de Murça e com o meu amigo e companheiro Luís Silva. Estamos aqui para o confortar e apoiar nesta hora terrível que atravessa”.

Nuno Guimarães chegou a Murça com uma grande novidade para o plantel do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group: o seu Silver Car S2.

E, logo desde a subida inicial de “warm-up”, no início da tarde de sábado, o piloto da NJ Racing mostrou uma rápida adaptação ao protótipo, estabelecendo sempre tempos que o colocava na luta por um lugar final do pódio. Ao fecho da tarde, na 1ª subida oficial de prova, estabeleceu o 4º tempo, rodando em 2.16,747, marca que “não foi a melhor que fiz na prova, pis rodei na 2ª sessão dos treinos no segundo 16. Na subida de prova, alguns pequenos erros custaram-me algumas decimas mas o tempo e a classificação dava para perceber que estava em condições de lutar pelo pódio”.

As duas subidas iniciais de domingo, uma de “warm-up e outra de treino, foram feitas com a pista molhada ou húmida, servindo sobretudo “para ganhar quilómetros com o Silver Car e preparar-me para atacar nas duas subidas de prova finais.”.

Nuno Guimarães partiu a ataque, após receber o semáforo verde, mas, ainda nas curvas iniciais, uma jante partida tornou impossível “evitar um pequeno toque que me forçou a parar e a desistir da subida”. Os danos causados até “nem foram significativos e no período de assistência que mediava para a 3ª subida de prova, a equipa da NJ Racing colocou o Silver Car em condições”.

Mas depois, veio a anulação da 3ª subida, tornando impossível a Nuno Guimarães se classificar e pontuar, mas o piloto realça que “não havia outra decisão a tomar. A anulação da 3ª subida tinha de acontecer, pois o choque de todos e o respeito pelas vítimas assim o exigia”.

Agora, o “capitão” e a NJ Racing vão focar na preparação do Silver Car e da próxima prova. Vão para a Arrábida seguros “da competitividade que podemos ter e, claro, lutar pelo pódio absoluto, que sabemos estar ao nosso alcance”. Salienta que “o traçado em Setúbal é muito bom Adapto-me muito bem às suas características e isso ainda me motiva mais!”.

A Rampa PêQuêPê Arrábida 2020 está marcada para os próximos dias 21 e 22 de Março e será organizada pelo Clube de Motorismo de Setúbal.

Deixe uma resposta